Faaala ae Pessoal! Aqui é Theago Liddell!

Death Stranding lançou… certo? pois é… estou optando por não ver nenhum gameplay pra não estragar a surpresa, quero dar o primeiro Start! Sobrevivendo aos spoilers por enquanto.. tenso!

Vamos falar sobre o mercadoi de Games? então… será que compensa investir nessa carreira? vamos dar uma olhada nessa chamada: Sony está em busca de novos estúdios e dinheiro não é problema, diz Jim Ryan… pois é amiguinho!

Vivemos um tempo de corrida aos conteúdos, não apenas porque a geração PlayStation 4 provou a importância dos exclusivos para o sucesso dos consoles, mas porque com a progressiva transição para o digital, que no limite será disponibilizado diretamente sem intermediários via streaming, as marcas perceberam que as propriedades intelectuais serão a sua maior força.

Como consequência, é hoje particularmente dispendioso, mesmo para os gigantes, adquirir um estúdio. Isso mesmo lembra o CEO da PlayStation, Jim Ryan, na entrevista concedida ao GamesIndustry. Vivemos um tempo em que o mercado é “propício ao vendedor (…) comprar estúdios é uma jogada extremamente cara.”

Claro que o preço não é impedimento para uma empresa da dimensão da Sony se manter no mercado em busca de novas aquisições. Ainda recentemente vimos a companhia a comprar a Insomniac Games, depois do estrondoso sucesso que o estúdio lhes garantiu com o desenvolvimento de Marvel’s Spider-Man, um dos melhores jogos de 2018, que acreditamos poder receber uma sequela algures no futuro.

Jim Ryan diz que “estão sempre” em busca de adquirir novos estúdios, contudo, são extremamente “cuidadosos em relação à área a atacar e pessoas com quem falar (…) há espaço para fazermos mais nessa área, mas temos de garantir que se trata da companhia certa.”

O cuidado da Sony ao procurar um novo estúdio não diz apenas respeito ao preço e valor que a qualidade das pessoas aportam à companhia, a inclusão tem de “fazer sentido do ponto de vista do que é adicionado ao portfólio.”

Ryan não terminou sem salientar que vivemos num tempo muito diferente daquele em que estávamos quando a Sony adquiriu a Guerrilla Games, produtores de Horizon: Zero Dawn. Curiosamente essa foi uma decisão absolutamente acertada em 2005, afinal, um dos fundadores e ex-presidente da Guerrilla, Hermen Hulst, foi ontem nomeado novo presidente dos Worldwide Studios.

Quem tem adaptado uma estratégia, mais agressiva, de aquisições, é a concorrente Microsoft, que adicionou não há muito tempo vários estúdios novos aos Xbox Game Studios. Recentemente foi anunciada a aquisição da Double Fine Productions (Psychonauts), já depois de terem sido confirmadas as compras da Obsidian Entertainment (The Outer Worlds) ou Ninja Theory (Hellblade), só para dar alguns dos principais exemplos.

Todo mundo junto e misturado! Blizzard pretende implementar cross-play em Diablo IV

Diablo IV será lançado para três plataformas diferentes, mas parece que os desenvolvedores estão pensando em maneiras para colocar todos os jogadores nos mesmos servidores.

Em entrevista para o site Telegraph, o produtor Allen Adham explicou que a Blizzard quer implementar crossplay no game – e isso está como uma de suas prioridades no momento.

Nós estamos muito animados com o cross-play. Precisamos resolver alguns detalhes técnicos no momento, mas nosso objetivo principal é conseguir implementar o cross-play.

Diablo IV ainda não tem previsão de lançamento, mas chegará para PC, PlayStation 4 e Xbox One.

E pra fechar, uma esperança de sacanagenzinha 🙂

RPG de Fairy Tail manterá a integridade da série por incluir fanservice

Os fãs de Fairy Tail sabem que, embora o mangá shonen tenha muitos momentos de ação, a série não evita um certo nível de fanservice. Com a Gust desenvolvendo o título mais recente, nos perguntamos se eles trariam seus próprios momentos de fanservice para o jogo.

Durante uma entrevista com o produtor Keisuke Kikuchi, o site Noisy Pixel questionou se os fãs podem esperar ver fanservice no RPG da série, ao que Kikuchi respondeu:

Durante o jogo, os personagens vão à praia, o que está de acordo com o cânone da série. Planejamos manter a integridade do mundo de Fairy Tail. Portanto, os fãs podem esperar ver esse nível de fanservice, porque foi assim que a IP original o apresentou, seja [fanservice] mostrado em uma fantasia ou em uma cena da história.

Quando se trata de games de anime licenciados, o titular da licença geralmente é bastante rigoroso sobre como seus personagens são representados. Com isso em mente, perguntaram se a Gust ainda era capaz de brincar com fanservice na história ou nos trajes do jogo.

Hiro Mashima tem muito controle sobre sua IP e ele está sempre pensando do ponto de vista dos fãs. Durante o desenvolvimento, ele realmente nos incentivou a adicionar mais. Nesse sentido, foi realmente fácil trabalhar com ele e sermos criativos. Havia coisas sobre as quais ele era rigoroso, como certos personagens não usarem esses tipos de roupas ou estarem em uma situação específica.

Bem, isso é tudo por hoje pessoal!

Theago Liddell é Desenvolvedor de Jogos eletrônicos e Mobile Apps, possui uma coleção de mais de 70 consoles, faz um podcast semanal no Spotify e LiveStreams em twitch.tv/TheagoLiddell