Agentes da Artesp realizam pesquisa na Washington Luís, entre Mirassol e Rio Preto (Foto: Divulgação)

Uma nova pesquisa que está sendo realizada pela Artesp (Agência Reguladora de Serviços Públicos Delegados de Transporte do Estado de São Paulo) tem tirado o sono dos motoristas que trafegam pela Washington Luís. O questionário está sendo aplicado no trecho entre Mirassol e São José do Rio Preto, próximo ao posto da Polícia Rodoviária e a pergunta direcionada ao entrevistado é sobre o que ele pensa da instalação de uma praça de pedágio na região.

A pesquisa começou a ser realizada na última segunda-feira, 29, e, de acordo com informações publicadas no site oficial da Câmara de Mirassol, entre os valores sugeridos estão R$ 1,65 e R$ 1,70. Segundo um representante local da Agência, apesar da presença desse tipo de pergunta, não há intenção de instalar um pedágio entre Mirassol e São José do Rio Preto, pois seria inviável à concessionária, uma vez que os moradores das duas cidades não precisariam pagar a taxa.

No entanto, informações extraoficiais obtidas por motoristas no local afirmam que há pretensões para a instalação de um pedágio, mas não entre as duas cidades. A praça de cobrança seria posicionada logo após o município de Mirassol, mas não foi detalhado se na Rodovia Euclides da Cunha ou na Rodovia Feliciano Salles Cunha, porém a concessionária Triângulo do Sol não administra nenhuma das pistas mencionadas.

LEIA TAMBÉM: ARTESP e Triângulo do Sol refutam possível praça de pedágio entre Rio Preto e Mirassol

Segundo a Artesp, o trabalho trata-se de uma Pesquisa de Opinião Declarada (POD), considerada padrão para levantamento de estatísticas de rodovias estaduais. Entre os três dias, serão entrevistados 800 motoristas para obter dados sobre a qualidade da via, o fluxo de veículos (carros, motocicletas e caminhões), a opinião dos condutores sobre pedágio e seus preços sugeridos, a frequência de motoristas naquele trecho, entre outros. A mesma pesquisa também está sendo realizada em outras regiões, como Barretos.

No início do mês de setembro, outra pesquisa em andamento acabou sendo interrompida devido ao período eleitoral e invalidada. Nessa nova ação, a instalação do Contador de Veículos foi dispensada.

Fonte: Imprensa – Câmara de Mirassol