Com freqüência ouvimos que o mercado financeiro está aguardando a divulgação da Ata do Copom para avaliar as expectativas e possíveis reações econômicas. Mas o quê é exatamente esse documento e qual é a importância dele para o investidor?

Antes de qualquer coisa, é preciso entender o que é o Copom (Comitê de Política Monetária). Ele é o órgão decisório da política monetária do Banco Central do Brasil que tem como principal objetivo o alcance das metas de inflação estabelecidas pelo Conselho Monetário Nacional (CMN). O Comitê é responsável por definir a Taxa Selic (Taxa de Juros Nacional), que é a taxa que baliza os títulos públicos federais. A Ata do Copom, que gera tanta curiosidade no mercado antes da sua divulgação, traz as projeções econômicas feitas pelo Banco Central que chegam à decisão de aumentar, manter ou reduzir a Taxa de Juros.

O Comitê é responsável por definir a Taxa Selic (Taxa de Juros Nacional), que é a taxa que baliza os títulos públicos federais. (Foto: divulgação)

A divulgação do documento traz uma grande expectativa para o mercado financeiro porque sumariza as discussões do Copom que levaram a decisão da Taxa de Juros. Na reunião, os membros do Comitê, que são membros da diretoria colegiada e departamentos do Banco Central, apontam o cenário de inflação, câmbio e economia que foram avaliados para tomar tais medidas. A Ata pode ser tanto um documento que não tenha impacto nenhum no mercado, se publicada de acordo com as expectativas, como pode causar impacto no mercado de juros, e consequentemente no mercado financeiro, se expressar alguma novidade em relação às previsões dos analistas.

Mesmo a Ata tendo grande importância para o Mercado, é um pouco difícil, para a pessoa física, tirar conclusões apenas com a leitura do documento, a não ser que seja um investidor muito bem informado sobre o assunto. A Ata traz também as mudanças em relação às posturas anteriores, é um processo contínuo que deve ser acompanhado, e que normalmente é feito pelos analistas.

É muito mais alinhado com o que vai estar acontecendo no futuro da economia, do que simplesmente um documento que vai dar respostas mágicas em relação a investimentos. Pelo contrário, eles fazem uma análise factual de como está a economia no momento, colocando um pouco da visão que levou os Membros do Copom a tomarem a decisão da Taxa de Juros. Ainda assim, a Ata pode ter também um reflexo para o investidor individual, às vezes, imediato. Isso porque a mudança da Taxa de Juros acaba sendo absorvida pelo mercado financeiro.

Normalmente o Mercado reage quando as decisões do Copom são diferentes das expectativas da economia. Por exemplo, se a expectativa da inflação ficar acima da Meta, fixada pelo Conselho Monetário Nacional, os reflexos são negativos, porque inibe o crescimento da economia e das empresas, e isso acaba desvalorizando as ações da Bolsa de Valores. Por outro lado, quando a inflação tende a ficar abaixo da meta, o Banco Central tem espaço para diminuir a Taxa de Juros, e os reflexos são positivos, porque a economia e as empresas crescem, e com isso as ações da Bolsa de Valores tendem a subir.

As Atas em português das reuniões do Copom são divulgadas às 8:30h da quinta-feira da semana posterior a cada reunião, publicadas na página do Banco Central na internet. www.bc.gov.br

(Foto: divulgação)

 

Prof. Celso de Carvalho

Coordenador do Curso Técnico em Contabilidade da Etec de Mirassol/SP.

Proprietário da Ajuste Investimentos.

E-mail: celsouemg@hotmail.com