Dados mais recentes do do Infosiga SP, sistema de dados gerenciado pelo programa Respeito à Vida, do Governo de São Paulo, mostram redução significativa nos acidentes de trânsito no Estado após o início da quarentena. Entre os dias 24 e 31 de março, a queda nas fatalidades foi de 31,3% na comparação com o mesmo período do ano passado.

Foram registradas 68 mortes este ano contra 99 em 2019. Os índices recuaram principalmente nas rodovias e entre ocupantes de automóveis. Em todo o mês de março, houve 453 óbitos causados por acidentes no Estado.

Os acidentes de trânsito demandam parcela importante dos atendimentos e leitos hospitalares, além dos bancos de sangue e equipes de emergência. Em meio à pandemia do novo coronavírus, a menor quantidade de acidentes resulta no aumento da capacidade de atendimento aos infectados pela COVID-19 e que buscam o sistema de saúde.

DownloadInfosiga SP

Nas estradas que cortam o Estado, a redução foi de 41,7%, incluindo rodovias estaduais e federais. Em vias municipais, a queda foi de 26,9%. Também foi observada redução dos índices em todos os modais analisados pelo Infosiga SP, principalmente entre os ocupantes de automóveis (-44% e 14 vítimas fatais).

Meios de transporte

Motociclistas lideraram as estatísticas com 31 óbitos no período, mas houve redução de 22,5% na comparação com 2019. Entre os pedestres, a redução foi de 12,5% (14 vítimas), enquanto as ocorrências envolvendo ocupantes de automóveis caiu 44% (14 óbitos). Foi registrado um caso a menos envolvendo ciclistas (7 contra 8 no ano passado, redução de 12,5%). Também houve menos acidentes no período noturno (-42,4%) e no final de semana (-62,5%).

Regiões administrativas

A região metropolitana da Capital registrou 23 fatalidades entre os dias 24 e 31 de março deste ano, contra 33 no mesmo período de 2019, uma redução de 30,3%. Também registraram reduções nos índices as regiões de Campinas (-5,6%), Central (-75%), Marília (-75%), Presidente Prudente (-50%), São José dos Campos (-72,7%) e Sorocaba (-60%).

Houve aumento no número de fatalidades na região de Franca (+100%), Registro (+200%) e Santos (+66,7%). Os índices permaneceram estáveis nas regiões de Barretos, Bauru, Itapeva, Ribeirão Preto e São José do Rio Preto.

Quarentena

A quarentena foi decretada pelo Governo do Estado a fim de diminuir a circulação de pessoas e, dessa forma, reduzir a contaminação por COVID-19, doença causada pelo novo coronavírus. Apenas serviços essenciais estão autorizados a funcionar. Veja o que abre e fecha durante esse período.

“As nossas decisões estão sendo tomadas não só com base na ciência, mas também nas referências do mundo. A quarentena está sendo avaliada hora por hora, dia a dia e ficar em casa neste momento é essencial”, salientou o Vice-Governador e Secretário de Governo, Rodrigo Garcia, em videoconferência com gestores municipais, em 2 de abril.

As medidas de isolamento social são essenciais nesse momento para que a administração possa organizar a rede de saúde. O pedido para que as pessoas evitem sair de casa é especialmente importante para pessoas acima de 60 anos, grupo de risco da doença.

“Nós precisamos ficar em casa cada vez mais. Coloque suas pessoas idosas em casa. Só saia para trabalhar aqueles que estão envolvidos nas atividades essenciais, para manter o ‘Fique em casa’. Gostaria muito de salientar isso. É o único remédio que nós temos, acrescido principalmente, agora, do uso de máscaras”, afirmou o Secretário da Saúde, José Henrique Germann Ferreira, durante entrevista coletiva nesta quinta-feira (27).