Frota de veículos (Foto: Marcello Casal Jr/Agência Brasil)

O governador do Estado, Rodrigo Garcia, autorizou a Secretaria Estadual de Logística e Transportes e o Departamento de Estradas de Rodagem (DER) a contratarem a realização de estudos e projetos para implantação do Rodoanel Metropolitano de São José do Rio Preto.

“Atravessam a área urbana de nossa cidade duas importantes rodovias do país, a Transbrasiliana (BR-153) e a Washington Luís (SP-310), unindo o tráfego de veículos pesados de longa distância com o de veículos leves dos nossos munícipes e de moradores das demais regiões. Nosso pedido é para que seja implantado um rodoanel que acompanhe o contorno ferroviário de Rio Preto, que já possui projeto em andamento e deverá ser implantado pela concessionária Rumo Logística”, detalhou o prefeito Edinho Araújo.

O pedido da Prefeitura é para implantação de um rodoanel que acompanhe o contorno ferroviário, passando pelas principais áreas e cidades do entorno do município, que una as rodovias e possibilite uma circulação rápida e segura para quem se desloca pela região. “Um verdadeiro anel logístico que seria de enorme importância e teria impactos positivos na redução de acidentes e na melhoria da capacidade viária de toda a região”, afirmou o prefeito.

De acordo com dados de DER, o Rodoanel Metropolitano de Rio Preto irá proporcionar desenvolvimento socioeconômico regional para os 37 municípios, beneficiando mais de 1 milhão de habitantes, separando os fluxos urbanos da demanda rodoviária de longo percurso.

O empreendimento terá como característica uma ligação viária com extensão aproximada de 100km em pista dupla, com previsão de passagem por 12 rodovias, sendo três delas vicinais, atendendo uma demanda inicial da ordem de mais de 1,5 mil veículos/hora e velocidade permitida de 100km/h.

O custo da obra, de acordo com valores informados pelo DER, é de R$ 10 a 12 milhões/km, aproximadamente R$ 1,2 bilhão. Já o custo do projeto funcional é de R$ 10 milhões, com prazo de execução de 10 meses, contendo informações sobre viabilidade técnica, econômica e ambiental.

PROJETO DO CONTORNO
O empreendimento foi apresentado pela Rumo Malha Paulista S.A, responsável pelo processo de renovação da concessão da Malha Ferroviária Paulista, em novembro último e indica como alternativa o deslocamento do fluxo ferroviário das áreas urbanas dos municípios de Cedral, Bady Bassitt, Rio Preto e Mirassol; que atualmente gera riscos à população do entorno da linha férrea, além de limitar a sua capacidade de transporte de carga.

O projeto foi elaborado com vistas à redução das interferências em áreas urbanas, minimização de impactos ambientais e aumento da eficiência energética. O traçado, que é uma antiga reivindicação de toda a população de Rio Preto, terá extensão de 51,92 km, com um total de 22 obras de artes para eliminação de conflitos urbanos. Tem investimentos previstos atualmente da ordem de R$ 694 milhões, com implantação num prazo de 38 meses, gerando ainda 1.330 empregos durante a sua execução.

Atualmente, o trecho urbano da ferrovia em Rio Preto encontra-se próximo da saturação da sua capacidade operacional. Tendo em vista as perspectivas de aumento da população urbana e demandas econômicas, sociais e ambientais, de acordo com a Rumo, a manutenção do atual traçado implicaria no agravamento das condições de pressão urbana já existentes. Limitando também o potencial desenvolvimento social e econômico do município e da ferrovia.