Muro de vedação está sendo construído ao longo de toda a ferrovia em Mirassol (Foto: Leandro Seles)

 

A Rumo iniciou recentemente uma obra de vedação da faixa de domínio na ferrovia que corta a área urbana de Mirassol. O muro que está sendo construído ao longo da linha, com alvenaria e tela, virou motivo de reclamação de muitos moradores que diariamente necessitam atravessar de um lado para o outro da linha e que fazem isso em pontos não oficiais, já que são poucos os cruzamentos em nível que existem na cidade voltado para pedestres.

Em contato com a concessionária Rumo, a equipe do Mirassol Conectada foi informada oficialmente que a empresa pretende – com a obra – aumentar a segurança da operação ferroviária e também dos pedestres que circulam na região.

Segundo a Rumo, ao longo de todo o trecho vedado serão construídas 7 “PNPs”, que são “passagens em nível” mais apropriadas para pedestres, ciclistas e até motociclistas (com certa dificuldade). As passagens estão sendo construídas com uma base de concreto e uma proteção nas laterais feita com uma ferragem reaproveitada da própria linha de trem. A empresa não informou onde serão as PNPs.

Ao longo de todo o trecho vedado serão construídas 7 “PNPs”, que são “passagens em nível” mais apropriadas para pedestres (Foto: Leandro Seles)

 

Além da obra de vedação, a empresa também está instalando um novo sistema de sinalização automatizado nas três passagens em nível (cruzamentos ferroviários) voltadas para veículos que existem dentro da cidade. De acordo com a Rumo, um alerta luminoso e sonoro será acionado nos cruzamentos para avisar os motoristas da aproximação do trem.

Todas as obras devem ser concluídas até o final de 2020 e terão um custo de cerca de R$ 6,3 milhões.

De acordo com a Rumo, um alerta luminoso e sonoro será acionado nos cruzamentos para avisar os motoristas da aproximação do trem (Foto: Leandro Seles)

Em contato com o Mirassol Conectada, moradores de Mirassol manifestaram suas opiniões sobre a obra:

“Ao meu ver foi boa a instalação deste muro de proteção na linha férrea, pois pouco tempo antes de iniciarem as obras foi flagrado um jovem se arriscando em cima de um vagão, e o ocorrido foi bem em um dos locais que foi cercado. Porém creio que houve algumas falhas neste projeto da cerca, pois alguns bairros ficaram praticamente sem áreas de passagem para pedestres e ciclistas. Entre o Karina e o Beija-flor foram feitas várias passagens que atendem pedestres ciclistas e cadeirantes, mas outros bairros ficaram com pouquíssimas passagens. Creio que esta cerca faça parte das obras de adequação da linha férrea, para operar as novas locomotivas e vagões na nossa região. Só não sei se compensa investir tanto assim, se está no plano de fazer um contorno da ferrovia até 2026 para retirar os trilhos de dentro de Mirassol” – Pedro Henrique, morador do bairro Parque das Flores

No (bairro) Karina eles fizeram duas passagens, aqui no bairro Vila Maria não fizeram nenhuma. Porque isso? O pessoal que tem que ir para a rodoviária tem que dar uma volta longe, aqui perto de casa as pessoas trabalham na firma de roupas e agora tem que dar uma volta longe também, agora me diz? Pra que serve esse muro? Não entendi até agora…” – Ademir de Oliveira, morador do bairro Vila Maria. 

“Gostaria de entender porque estão fazendo as obras se o governo do estado aprovou o desvio da ferrovia… Não vejo as mesmas obras em outras cidades, como Rio Preto… Alguém poderia informar se estão fazendo em outras cidades ou apenas em Mirassol? Se sim, nos traz o questionamento de porquê está sendo feito apenas aqui” – Júlio Salomão, morador do bairro Renascença