Só nos últimos 12 meses, foram realizadas 1681 vistorias, com cerca de 200 fraudes detectadas na cidade (divulgação)

Conhecida popularmente como “gato de água”, a fraude é um problema grave no Brasil e é crime. Em Mirassol, para combater essas irregularidades, a Sanessol, empresa do Grupo Iguá e da Aviva Ambiental, trabalha ininterruptamente monitorando e fiscalizando os hidrômetros dos imóveis da cidade.

Para se ter ideia, só nos últimos 12 meses, foram realizadas 1681 vistorias, com cerca de 200 fraudes detectadas na cidade. “O objetivo dessas ações não é punir e sim regularizar esses casos, orientando a população sobre o quanto essas adulterações são prejudiciais para os moradores e ao meio ambiente”, ressalta o diretor operacional,André Scanavini.

Para esclarecer sobre o tema e a gravidade deste problema, listamos em 10 tópicos as principais informações, confira:

1 – Fraude é toda infração causada propositadamente com o intuito de distorcer o real consumo de água.

2 – São consideradas as manipulações no cavalete de água; a perfurações no medidor de consumo; irregularidades no hidrômetro (rompimento dos lacres ou danos ao aparelho, como perfurações na cúpula, uso de arames, imãs); ligações clandestinas direta na rede de abastecimento.

3 – O furto de água é crime e está no Código Penal (art. 155, §§ 3º e 4º, II), podendo, inclusive, ser enquadrado como furto qualificado.

4 – As ligações clandestinas podem ocasionar vazamentos, perda de pressão na rede e, consequentemente, falta de água para a população.

5 – As fraudes podem ser a origem de infiltrações que comprometem a estrutura dos imóveis e, em casos extremos, podem causar até mesmo desabamentos.

6 – Quem frauda, além de cometer um crime, prejudica diretamente o meio ambiente, porque, geralmente, os infratores consomem água sem controle, já que não estão pagando por esse serviço como o restante da população.

7 – Em muitos casos, há manipulação indevida nas tubulações, com isso a rede fica exposta, podendo ocasionar contaminação da água.

8 – Elas contribuem significativamente para aumentar os índices de perdas no sistema de abastecimento.

9 – Ter ligações de água dentro da legalidade é uma questão de isonomia social. Afinal, não é justo que a maioria da população pague suas contas em dia, enquanto uma minoria não.

10 – A população tem papel fundamental no combate a esse vilão da economia de água, tanto no sentido de não ser um infrator como no de denunciar possíveis fraudes na rede. Para fazer uma denúncia anônima, basta entrar em contato por meio dos canais de atendimento: rua João Caetano Mendonça de Almeida, 2005, pelo telefone 08007740195 ou no WhatsApp (17) 99634-2559.

Fique atento!

Para cada fraude encontrada é aplicado um Termo de Ocorrência de Irregularidade com as informações sobre cada caso específico. Com esse documento em mãos, o morador notificado deve seguir as orientações da Sanessol para garantir a ligação adequada.

Os custos para a regularização da ligação de água incluem a substituição do hidrômetro e despesas administrativas da concessionária, com variações para o tipo de categoria. A empresa alerta que, se o infrator não colaborar com esse processo, é registrado um Boletim de Ocorrência, abrindo assim um processo por furto.