O inverno e as baixas temperaturas impõem grandes riscos ao coração e ao sistema cardiovascular. O frio pode aumentar em 30% os riscos de infarto e de acidente vascular cerebral (AVC), segundo a Sociedade Brasileira de Cardiologia.

A Associação Americana do Coração (American Heart Association) apresenta outras estatísticas que reforçam a importância do cuidado com o coração. Durante o inverno, a incidência de problemas cardíacos aumenta em 25%. Quando a temperatura alcança médias diárias abaixo de 14°C, os casos de morte por infarto do miocárdio sobem para até 30% e, a cada 10°C, a menos na temperatura, o risco de infarto cresce em 7%. Pessoas com doenças crônicas, com predisposição a problemas cardíacos e mais de 65 anos formam o grupo de maior risco.

“O frio intenso provoca a vasoconstrição, ou seja, a diminuição do diâmetro dos vasos sanguíneos. um mecanismo normal que o corpo humano aciona para se aquecer. Essa redução do diâmetro pode contribuir para o rompimento das placas e provocar o entupimento das artérias. Já a infecção inflama o corpo e gera um esforço ao coração”, explica o cardiologista e hemodinamicista Darcio Gitti de Faria, do Instituto de Moléstias Cardiovasculares – IMC, de São José do Rio Preto.

Cardiologista Dárcio Gitti de Faria, do Instituto de Moléstias Cardiovasculares – IMC, de São José do Rio Preto (foto: Divulgação)

Quando esse processo provoca uma obstrução das artérias carótidas, que levam o sangue ao cérebro, pode-se também gerar um acidente vascular cerebral (AVC).

O frio também ativa os receptores nervosos da pele, desencadeando uma maior liberação de adrenalina, hormônio que contrai os vasos sanguíneos, aumenta a frequência cardíaca e, consequentemente, aumento do consumo de oxigênio pelo músculo do coração.

Entre os sintomas mais comuns do infarto estão: dor no peito, falta de ar, náuseas, dor no braço esquerdo, dor nas costas, no pescoço ou no estômago, que também podem ser iniciadas após esforço ou situações de estresse e, até mesmo, em repouso. “A dor pode ser em aperto, opressão, queimação ou de difícil caracterização. O fato é que qualquer sintoma deve ser investigado”, explica o médico.

Cuidado e prevenção

Este ambiente hostil ao coração e sistema cardiovascular é mais um motivo para que as pessoas façam o checkup cardiológico, quando o médico irá avaliar a sua saúde. No IMC, o checkup envolve não só o cardiologista, mas também equipe multidisciplinar completa, que realiza uma série de exames diagnósticos e físicos, como o teste ergométrico de esforço, por exemplo.

A prevenção, não importa a idade, envolve também a adoção de hábitos saudáveis como praticar exercícios físicos regularmente, evitar excesso de sal na alimentação, combater a obesidade e ter atividade de lazer, entre outros, orienta o cardiologista.

E, caso a pessoa sinta mal súbito no coração, como arritmia ou princípio de infarto, é fundamental que procure ou seja levado, de preferência, a uma emergência cardiológica, que possui equipe multiprofissional especializada para diagnosticar um quadro cardiovascular grave com o máximo de agilidade e prosseguir com o atendimento adequado para cada caso específico.

Como centro de referência no Estado de São Paulo, o IMC possui emergência cardiológica 24 horas por dia, contando com unidade coronariana, estudo eletrofisiológico, hemodinâmica e um setor exclusivo para a realização de exames cardiológicos e centro cirúrgico.

Sobre o Instituto de Moléstias Cardiovasculares – IMC

Fundado em 1967, o Instituto de Moléstias Cardiovasculares – IMC, de São José do Rio Preto (SP), é referência no interior paulista não só no tratamento de doenças cardíacas e vasculares, como também no ensino e pesquisa, sendo formador de centenas de médicos e na condução de estudos nacionais e internacionais.

O instituto possui 100 médicos renomados e 400 profissionais de outras áreas da saúde e de apoio. Realiza mais de 3 mil consultas mensais e 421 mil exames ao ano, em pacientes provenientes de vários estados.

Embora a sigla IMC esteja mais associada à cardiologia, o centro possui cerca de 100 médicos de várias especialidades, que atuam também em arritmias cardíacas, medicina nuclear, hemodinâmica, radiologia e exames diagnósticos (ecocardiograma, espirometria, ultrassonografia vascular, ergometria e ergoespirometria), além de laboratório de análises clínicas.

O IMC possui Hospital com centro cirúrgico, UTIs (9 leitos), hotelaria (22 leitos) em estrutura moderna para que o seu corpo clínico e profissionais de outras instituições de saúde tenham plenas condições de realizar procedimentos cirúrgicos de várias especialidades da medicina.

Um dos diferenciais do IMC é a emergência cardiológica 24 horas por dia, que conta com unidade coronariana, estudo eletrofisiológico, hemodinâmica e um setor exclusivo para a realização de exames cardiológicos e centro cirúrgico.